NA MARCA DO PÊNALTI

NA MARCA DO PÊNALTI

COLUNAS ANTERIORES

Carloto Junior - 16:08 13/03/2018

Coluna Na Marca do Pênalti...

Jogo complicado para...

o Flamengo, nesta quarta-feira, pela Libertadores contra o Emelec, no Equador. O time brasileiro vem de um empate (2 x 2), na estreia, em casa, contra o River Plate e precisa de um resultado positivo para se recuperar, além de evitar uma crise precoce na Gávea, neste início da competição sul americana. O problema do Rubro Negro carioca é que o adversário desta quarta está voando no campeonato do seu país, onde venceu por goleada o último jogo. Na estreia, o Emelec, também empatou (1 x 1), jogando na Colômbia, contra o Santa Fé. Na Libertadores, quem faz o dever de casa tem grandes chances de se classificar. Mas para isso precisa conquistar pontos fora de casa, também. O Emelec já fez isso, pois conquistou 1 ponto na estreia. Ano passado, o Flamengo venceu seus três jogos em casa, mas também perdeu os três fora de casa.

O gramado do...

estádio Frei Epifânio está bem castigado, principalmente nas intermediárias e nos gols. Com as chuvas que tem caído na região, além da realização de muitos jogos no estádio, tem dificultado a recuperação do gramado, considerado um dos melhores do estado. Estive na tarde de segunda-feira acompanhando o treino do Cavalo de Aço e vi, com tristeza, a situação que se encontra o gramado. Como o Imperatriz tem treinado nesta semana, a tendência é que o gramado fique mais castigado ainda. O ideal seria, além de dar um tempo no campo de jogo, não só nos treinos do Imperatriz, mas também nos jogos que são realizados constantemente lá, torcer para que as chuvas diminuam e que um trabalho de recuperação possa ser feito. Menos mal que faltam somente dois jogos pelo estadual, desde que o Imperatriz chegue à final. Após o Maranhense vem o Brasileiro da Série D. Espera-se que até lá o gramado possa estar em perfeitas condições.

Sinceramente,...

nunca vi um campeonato tão fácil de ser conquistado pelo Cavalo de Aço, do que o deste ano. Sem o Sampaio Corrêa na disputa, a missão fica mais fácil. Nas semifinais, o Imperatriz não pode dar moleza diante do São José, adversário em dois jogos. A diferença entre as equipes é brutal e o Imperatriz precisa levar isso para dentro de campo, vencendo os dois jogos, como fez em 2015. Naquela oportunidade, o Cavalo de Aço venceu em Imperatriz por 4 x 1 e, no jogo da volta, em São José de Ribamar, após sair perdendo por 2 x 0, virou para 4 x 2, garantindo presença na final. Este ano a diferença técnica entre as duas equipe é bem maior e o Imperatriz precisa se impor do início ao fim, seja aqui ou lá. Após passar pelo São José, vai enfrentar Moto ou Maranhão. Se o Cavalo de Aço jogar como time grande que é, tem condições de levantar o seu 3º título estadual. O que não pode fazer é se apequenar.

Qual seria o melhor...

do Imperatriz para esta reta final de Campeonato Maranhense? Com a recuperação total do zagueiro Michael e dos atacantes Júnior Chicão e Kanu, qual seria o time ideal do Cavalo de Aço? Na zaga tem uma dúvida, entre Anderson (que está jogando) e Michael, que era o titular absoluto antes de se machucar. No meio e no ataque, Adauto está pedindo passagem. Seria melhor escalar ele no meio campo ou no ataque? Para jogar no meio, um volante (certamente o 2º) ou um meia (Daniel ou Rúbens) teria que ser sacado. No ataque, ele vem jogando como parceiro do Júnior Chicão. Ou seria melhor deixar Adauto no banco e fazer a dupla de ataque com Chicão e Kanu ou Thaynnan? Se fosse eu o técnico, Michael seria o titular e minha dupla de ataque seria Kanu e Júnior Chicão. Sobre Adauto, eu começava com ele no banco. Como não sou o técnico, que o abacaxi seja descascado por Vinícius Saldanha.

AUTOR

Carloto Junior

Carloto Júnior, nascido em Pedreiras-Ma, residente em Imperatriz deste 1989. Blogueiro, Radialista, comentarista esportivo, apresentador de programa esportivo em Rádio e TV, com DRT nr 708. Filiado à ACLEM e ABRACE.

EDIÇÃO IMPRESSA