OPINIÃO

OPINIÃO

COLUNAS ANTERIORES

Carlos Leen - 11:52 23/03/2018

Lula, Getúlio e o povo do Brasil

Almoçando em uma das mais movimentadas paneladas em Imperatriz, notei que alguém citou o nome de Luís Inácio Lula da Silva. Imediatamente uma pequena polêmica instaurou-se no local e logo as opiniões estavam entre os que achavam que o ex-presidente era ou não culpado das "milhares" de alegações sobre sua conduta. Todos concordavam que Lula venceria as eleições se fosse candidato.

Fico sempre impressionado com uma figura tão popular e carismática como a de Lula. Aqueles que vivem "fora da bolha" das redes sociais e até mesmo aqueles que o odeiam sabem disso.

Verdade seja dita, Lula é junto com Getúlio Vargas um dos ícones do trabalhismo e da liderança política entre as camadas da classe trabalhadora menos abastadas.

Há diferencial entre Getúlio e Lula. Enquanto o primeiro era oriundo de família tradicional e aristocrática, Lula é filho da vida dura, pauperizada, sofrida, assim como milhares de trabalhadores. Getúlio era da Casa Grande e rompeu amarras e concedeu mais direitos a senzala. Lula era da senzala e concedeu mais direitos a senzala.

Verdade seja dita, a estupidez que se apossou das redes sociais deu gás as aberrações contra-democráticas. Golpismo barato recheado de verdades de quem não confundem habeas corpus com corpus christi.

Com todas as falhas e erros relativas as operações de governo, o luilismo foi sim a melhor experiência que o Brasil teve desde a abertura democrática no Brasil.

O fascismo e a ignorância estão na moda. Acéfalos que desconhecem a História do Brasil se acobertam com memes e Gifs na internet agora e desdenham de tudo, julgam e condenam abertamente.

Na época dos oito anos do petismo no Brasil, eu era oposição à Lula. Naquele tempo fazíamos um debate que a conduta do governo era neoliberal. Lutavamos contra oligárquicas articulações patrocinadas por erros na conduta política do PT. Mas não tínhamos preocupação em relação a retirada de direitos e a falta de investimentos em saúde e educação. Havia um certo sucateamento das universidades sim, mas investia-se aqui e ali em novas universidades, por exemplo. Havia o pleno e muito menos desemprego que hoje em dia. Por essas e outras Lula saiu com quase 80% de aprovação popular. Nesta época no entando, vivia o mais do mesmo em termos de crescimento econômico.

Hoje vivemos com a corda no pescoço no Brasil. Uma massa de desempregados e quase todos os estados da federação quebrados. No entanto, o Maranhão cresce economicamente. Um bom assunto para um próximo texto.

AUTOR

Carlos Leen

Natural de Imperatriz - MA, Professor de História da Rede Estadual de Ensino, graduado pela Universidade Estadual do Maranhão e pós - graduado em Educação em Direitos Humanos pela Universidade Federal do Maranhão. É pesquisador e autor do livro "O Estreito Desenvolvimento: História dos Conflitos da Barragem".

EDIÇÃO IMPRESSA