EDUCAÇÃO

EDUCAÇÃO

Vanessa de Paula - 10:53 08/09/2017

Ex-aluno do IFMA desenvolve aplicativo voltado para planejamento digital do município

O objetivo é servir como ferramenta pedagógica dos direitos e deveres de todos com relação ao equilíbrio ecológico e econômico de Imperatriz

Foto: Reprodução.

Com objetivo de organizar os municipios de maneira digital, o graduado em Ciência da Computação, Samuel Alves, desenvolveu o aplicativo MobileZee. O projeto fez parte de seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Ciência da Computação do Instituito Federal do Maranhão (IFMA), de Imperatriz e foi orientado pelo Engenheiro Ambiental Antônio Vieira. O aplicativo demostra de maneira visual, ao cidadão e as esferas públicas, como está sendo organizada a Lei de Zoneamento de Cidades. 

O aplicativo foi baseado na Lei de Zoneamento, Parcelamento, Usos e Ocupação do Solo de Imperatriz de 2013. A ferramenta tem como função demostrar, por meio de mapas, a demarcação de Zonas Residenciais, Industrial, Proteção Ambiental, Turismo e Interesse Social. Além disso, informar o que pode e não pode ser investido economicamente em um local. E também relatar quais as áreas de proteção do meio ambiente registradas no municipio. Samuel explica que também é possível ter acesso à lei. “Usando a função do GPS no celular, você pode verificar a sua exata posição no mapa e obter as informações da lei de proteção ambiental ou desenvolvimento econômico do município”, conta.

O trabalho espera contribuir para a orientação e estímulo ao desenvolvimento urbano sustentado. Para isso, pretende permitir a visualização georeferenciada das diferentes zonas urbanas, indicando o uso recomendado do solo. De acordo com a descrição no Google Play Store, o projeto visa “servir como ferramenta pedagógica dos direitos e o deveres de todos com relação ao equilíbrio ecológico e econômico do município de Imperatriz”.

Samuel explica que o que motivou o desenvolvimento do projeto foi observar o crescimento da cidade sem planejamento eficaz. “Ver postos de gasolina sendo construídos acima de riachos, prédios sendo construídos próximos de leito de rios, lagos não observando a lei”, justifica. O que o aplicativo faz é uma “simplificação da linguagem entre a lei e o cidadão”, relata. Para ele, é importante que o conhecimento possa colaborar com a coletividade. “A tecnologia tem muito a contribuir para a gestão compartilhada dos recursos econômicos e naturais para a sociedade”, avalia.                         

Samuel conta que o aplicativo deve ser utilizado de forma oficial em breve. “Estamos na fase de contato com a câmara de vereadores de Imperatriz para uso de vigilância da lei”, informa. Ele acredita também que esta experiência poderia ser transposta para outros municípios que apresentam ou estão no processo de criação de seu zoneamento ecológico e econômico.

Esta ferramenta foi desenvolvida por meio da bolsa de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBIT) do IFMA.

O aplicativo está disponível para usuários Android. Basta ir na App Store e pesquisar pelo nome “MobileZee”. Clique nesse link para acessar o aplicativo.

EDIÇÃO IMPRESSA