CIDADE

CIDADE

Daniela Souza - 13:55 12/09/2017

Adolescentes devem continuar se vacinando contra o HPV em Imperatriz 

A novidade desse tipo de vacina é que este ano incluíram os meninos na lista de prioridade de imunização

Os adolescentes devem ficar atentos ao tomar esta vacina, pois para a imunização ser completa, devem tomar duas doses. (Foto: Reprodução)

A doença sexualmente transmissível HPV, é disseminada pelo contato pele com pele. Uma a cada dez meninas é atingida pela doença no primeiro ato sexual. Estima-se que cerca de 90% da população já entrou em contato com o vírus alguma vez na vida, porém não casou lesão. Praticamente, a maioria conseguiu eliminar o vírus sem muitas intervenções clínicas. Isso se deve ao número maior de campanhas sobre a prevenção do HPV e a disponibilidade de vacinas.  

Em Imperatriz, as vacinas contra o HPV foram disponibilizadas pelo Ministério da Saúde também para os meninos, assim como em todas as cidades do país. Segundo o coordenador da Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro da Caema, Thayson Lima, está acontecendo bastante procura da vacina na UBS do bairro.  

"Temos três formas de os adolescentes procurarem se vacinar contra o HPV: a primeira é aquela espontânea. O interessado chega, espera ser atendido e se vacina. A segunda é por meio das buscas ativas, realizadas pelos agentes de saúde do bairro. Costumam ir às escolas e na própria casa das pessoas. A terceira, é quando as pessoas veem as propagandas na TV e no Rádio. Isso ajuda bastante o trabalho de prevenção".  

Ele disse ainda que os atendimentos são realizados de segunda a sexta de 8h às 12h e de 14h às 18h. A novidade desse tipo de vacina é que este ano incluíram os meninos na lista de prioridade de imunização. "A vacina é para os meninos que tem entre 11 e 15; e para as meninas de 9 a 15 anos. São idades, que em geral, já estão entrando na fase da puberdade e que não possuem vida sexual ativa", explica o enfermeiro Thayson.  

Os adolescentes devem ficar atentos ao tomar esta vacina, pois para a imunização ser completa, devem tomar duas doses. Para quem não se encaixa na faixa etária estipulada pelo Ministério da Saúde, podem procurar hospitais particulares para se vacinar.  

EDIÇÃO IMPRESSA