GERAL

GERAL

Assessoria - 09:49 13/09/2017

Por que não ouvimos falar muito em câncer de coração?

Em 29 de setembro é lembrado o Dia Nacional do Coração

O Diagnóstico geralmente se dá através de exames de ecocardiograma, tomografia de tórax ou até mesmo de ressonância magnética. (Foto: Reprodução)

Não ouvimos falar muito do câncer de coração porque simplesmente são bastante incomuns. O cancerologista cirúrgico do Centro de Tratamento de Câncer de Imperatriz – Oncoradium, Gumercindo Filho, explica que “existe, sim, câncer de coração, mas são muito raros. O mais comum são tumores metastáticos, provenientes de outros órgãos que podem atingir a região torácica, como o mediastino”, explica.

O médico continua a explicação: “ainda não existe nenhum fator de risco associado ao câncer de coração. Por ser muito raro, também não existe nenhum protocolo para rastreamento desse tipo de câncer. Os sintomas são semelhantes aos das doenças cardiovasculares o que pode confundir o diagnóstico”. O Diagnóstico geralmente se dá através de exames de ecocardiograma, tomografia de tórax ou até mesmo de ressonância magnética.

Por isso é importante a consciência de consultar um médico regularmente. E qual o motivo desse tipo de câncer ser raro? A causa é simples! De acordo com médico do Instituto Nacional do Câncer – Inca, Cristiano Guedes, em entrevista para a revista Super Interessante, explica que, ao contrário de outras partes do corpo, as células do coração enceram o ciclo de divisão muito cedo e, sem a divisão celular, é impossível haver multiplicação desordenadas de célula, o que justamente caracteriza o câncer.

Dia do coração – Em 29 de setembro é lembrado o Dia Nacional do Coração e instituições de saúde em todo mundo desenvolvem ações de conscientização e prevenção de doenças para esse órgão que é tão importante para o funcionamento do corpo humano. 

 

EDIÇÃO IMPRESSA