EDUCAÇÃO

EDUCAÇÃO

Stephanne Menezes (com informações da assessoria) - 10:50 16/05/2018

Palestras socioeducativas fazem parte do combate à exploração sexual infantil em Imperatriz

As palestras são promovidas pelo ‘Projeto Proteção’

Até o dia 18 de maio palestras socioeducativas serão ministradas em empresas de transportes como a VLI, PKS e Satélite Norte. (Foto: Divulgação)

Em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, o Projeto Proteção, do SEST SENAT, realiza uma série de ações educativas para trabalhadores do transporte e comunidade.

Até o dia 18 de maio palestras socioeducativas serão ministradas em empresas de transportes como a VLI, PKS e Satélite Norte.

Além das atividades com os trabalhadores, a entidade civil promove para o público geral ações em pontos estratégicos.

A coordenadora de promoção social do SEST SENAT de Imperatriz, Mayara Gomes, explica que o objetivo da campanha é alcançar o maior número de pessoas.

“Nosso intuito com esta campanha é atingir as pessoas fora da unidade [do SEST SENAT], dando palestras em empresas do transporte, nos shoppings da cidade e fazendo pit stops, para trazer as pessoas, mobilizá-las e conscientizá-las”, conta.

Além disso, a proposta da Unidade é contribuir com a erradicação dos abusos e fortalecer o conhecimento social sobre as formas de denúncia, os traumas decorrentes de abusos, a incidência de casos na região e outros assuntos.

De acordo com dados disponibilizados pelo Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas) de Imperatriz, até abril deste ano foram registrados 117 atendimentos no município relacionados ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes.

Projeto Proteção

Criado em 2004, o projeto é realizado anualmente em todas as unidades do Sest Senat. A instituição envolve o profissional do transporte, principalmente o caminhoneiro, que está presente nas estradas e se torna um agente fundamental para o desenvolvimento do combate à exploração.

Além do público do transporte, a instituição convida também a comunidade a cumprir o papel de cidadão destacado pelo artigo 70 do ECA, “é dever de todos prevenir a ocorrência de ameaça ou violação dos direitos da criança e do adolescente”.

EDIÇÃO IMPRESSA