CIDADE

CIDADE

Railson Andrade - 12:24 10/07/2017

Mulher é atacada por cães da raça pit bull em Imperatriz

Oneide Ribeiro, 42 anos, fazia o mesmo percurso todos os dias para ir ao trabalho quando foi surpreendida pelos cães

Foto: Reprodução.

Na manhã de sábado (08) por volta de 06 horas e 15 min, a doméstica Oneide Ribeiro, 42, foi atacada por dois cães da raça pit bull quando estava indo a pé para o trabalho. O caso aconteceu nas proximidades da Av. Babaçulândia, no setor do entrocamento, em frente a uma revendedora de pneus.

Oneide foi socorrida por um motorista que passava na hora e “jogou” o carro para cima dos cachorros. O mesmo levou a vítima para o Hospital Municipal de Imperatriz (HMI) onde teve os primeiros atendimentos.

De acordo com relatos do irmão da vítima, André Ribeiro, conhecido por Krikati, os cachorros tinham fugido e estavam soltos em frente a esta loja. O proprietário assumiu que os cachorros são da família, porém, não foi prestada nenhuma assistência na hora do ocorrido.

Após ser atendida é que os responsáveis pelos cães estiveram no hospital para prestar assistência a vítima. “Já vieram aparecer no sábado à noite”, informa André. Ainda de acordo com o irmão de Oneide, os cães pertencem a um sobrinho do proprietário da loja de pneus e que não teria como arcar com as despesas de saúde, porém, a família do rapaz irá assumir os custos.

A mãe da vítima foi a delegacia registrar o boletim de ocorrência, porém, deve esperar a filha ser liberada do hospital para fazer o exame de corpo delito, pois Oneide ainda continua internada. A família contratou advogados para conduzir os tramites legais para que a vítima seja indenizada, principalmente por não ter sido socorrida.

Ainda de acordo com André Ribeiro, “ela teve muita perda de tecido na perna” e terá que fazer preenchimento no local dos ferimentos. Além da perna, a vítima foi atacada também nas costas.

Oneide fazia esse percurso todos os dias para ir ao trabalho, da rua João Lisboa, onde mora, seguia pela Carajás e pegava a Av. Babaçulândia, passando em frente a essa revendedora de pneus. O irmão conta que “quando chegou em frente a revendedora ela se deparou com os pit bulls que estavam na rua fugidos e avançaram. Ela não teve reação, já atacaram ela e começaram a morder a perna”, diz

Projeto de Lei

Em 2009 a Assembleia Legislativa do Maranhão aprovou um projeto de lei que restringia a criação e comercialização de cães da raça pit bull e de outras raças oriundas de seu cruzamento em todo o Estado do Maranhão.

De acordo com o projeto, de autoria do então deputado Penaldon Jorge (PSC), era obrigatória a esterilização de todos os cães da raça pit bull e dela derivada a partir dos seis meses de idade.

É terminantemente proibida a circulação de animais ferozes em praias e logradouros públicos, sobretudo em locais onde haja aglomeração de pessoas. É permitida a circulação desses cães somente quando forem conduzidos por maiores de 18 anos portando devidamente sua carteira de identificação, registro do animal e carteira de vacinação. Eles devem estar usando enforcador e focinheira.

Os proprietários desses animais serão penalizados legalmente caso haja qualquer dano cometido por eles estando sob sua guarda.

A multa é de R$ 1 mil, mais a apreensão do animal. Deverá haver também reparação ou compensação em casos de ataques do pit bull contra pessoas e outros animais.

O caso do jovem Anderson Souza, de apenas 10 anos foi citado no projeto de lei.

Caso Anderson Souza

Em 2008, aqui em Imperatriz, uma criança de 10 anos morreu após ser atacada por um cão da raça pit bull quando estava na casa de um colega fazendo trabalho escolar. O caso aconteceu na Vila Vitória.

O pit bull avançou no menino, que indefeso, não conseguiu escapar e morreu no local. De acordo com informações de moradores, um vizinho ainda teria tentado salvar a criança. Algumas pessoas tentaram invadir a residência para matar o cachorro, mas a polícia controlou a situação e sacrificou o animal.

EDIÇÃO IMPRESSA